Conheça a Cidade de Caruaru – PE

CARUARU – PE

 

 

 

Caruaru. De Fazenda a Capital do Agreste

A cidade de Caruaru começou tomar forma em 1681, quando o governador Aires de Souza de Castro, concedeu à família Rodrigues de Sá uma sesmaria (concessão de terras com o intuito de desenvolver a agricultura e a criação de gado) com 30 léguas de extensão (aproximadamente 12 hectares). Mas, apenas em 1776, José Rodrigues de Jesus decidiu voltar para a fazenda do pai, que havia passado alguns anos abandonada, após sua morte e pouco tempo depois, a fazenda Caruru ganhava uma capela, dedicada a Nossa Senhora da Conceição que foi acolhendo um pequeno povoado ao seu redor.

Caruaru tornou-se cidade, a primeira do Agreste pernambucano, pelo projeto nº 20, do deputado provincial Francisco de Paula Baptista, defendido em primeira discussão em 03 de abril de 1857, depois de aprovação sem debate, em 18 de maio do mesmo ano, com a assinatura da Lei Provincial nº 416, pelo vice-presidente da província de Pernambuco, Joaquim Pires Machado Portela.

Município do Vale do Ipojuca, conhecido como a Princesa do Agreste e a Capital do Forró, Caruaru é o município mais populoso do interior de Pernambuco. Tem uma população residente (dados do censo IBGE de 2007) de 289.086 habitantes, que vivem numa área territorial de 921 quilômetros quadrados e sua padroeira é Nossa Senhora das Dores.

Bandeira de Caruaru

Obra do professor Amaro Matias, instituído como símbolo oficial em 13 de maio de 1972, o pavilhão de Caruaru tem fundo tricolor verde, branco e vermelho, sendo o verde-esmeralda um agradecimento à fertilidade da terra, o branco, uma celebração da paz, e o vermelho, um símbolo da coragem do seu povo.

O triângulo em azul representa a lealdade do povo, com o sol significando majestade, abundância e riqueza da terra. A faixa em amarelo fala da nobreza com uma cruz em vermelho, símbolo da fé cristã. Abaixo, o triângulo em vermelho, cor da coragem e destemor, traz um ramo de avelozes, em homenagem ao fundador José Rodrigues de Jesus.

Em cima, uma coroa de fortalezas lembra as lutas pelo progresso e soberania da cidade que lhe renderam a fama de “Princesa do Agreste”.

As datas que se vêem na faixa amarela, abaixo do escudo, referem-se à data da criação do município (1848) e a da elevação à categoria de cidade (1857). Ladeando essa faixa, um ramo de louro (considerada a planta símbolo dos campeões desde a Grécia Antiga), lembra as vitoriosas batalhas travadas pelo desenvolvimento econômico de nossa cidade.

Hino de Caruaru

O Decreto nº 10/72, de 17 de maio de 1972 – Ementa: Constitui o Hino Oficial do Município de Caruaru e dá outras providências.

Art.1º – É instituído HINO OFICIAL DO MUNICÍPIO DE CARUARU a composição, em letra e música, do professor José Florêncio Neto (Machadinho), nos termos do que acima contém.Art.2º – A letra do Hino Oficial do Município é assim redigida:

“De Fazenda a Capital

Nasceste pernambucana

Com teu clima tropical

E esta voz tão soberana.

Erguendo teu brado forte

Neste Sólio de beleza

És berço amado de Sul a Norte

Desta Cidade Princesa.

ESTRIBILHO

És ó Brasil, País amado

És Caruaru, Rincão bendito

És tu Cidade, Templo Sagrado (BIS)

Contemplando este Infinito

Comércio, Indústria e Feira

Falam junto ao Coração

Ao desfraldar tua Bandeira

Numa feliz inspiração.

Meu torrão – Hino de Glória

Com as Bençãos de Jesus

Hás de cantar sempre Vitória

Venerando a tua Cruz!”

Pontos Turísticos

ESPAÇO CULTURAL TANCREDO NEVES

Construído em 1935. Em 1988, após a restauração, passou a ser o Espaço Cultural. Na área interna abriga pavilhão de exposições e feiras, sede da Fundação e Cultura, Secretaria de Turismo, museus e unidades culturais.

Na área externa, foi implantado o Pátio de Eventos Luiz Gonzaga, com a Vila do Forró – réplica de um típico vilarejo do interior – onde se concentra grande parte dos eventos da cidade.

MUSEU DO BARRO DE CARUARU – ESPAÇO ZÉ CABOCLO

Localizado no Bloco B do Espaço Cultural Tancredo Neves (1º andar), possui em seu acervo, cerca de 2.300 peças expostas em cinco ambientes:

* Sala Ceramistas do Alto do Moura

* Sala Mestre Vitalino e Família

* Coleção Abelardo Rodrigues

* Sala de Exposições Temporárias e Atividades Educativas

* Pinacoteca Pintora Luisa Cavalcanti Maciel

HORÁRIO PARA VISITAS:

Terça à sábado: 8h às 17h

Domingo: 9h às 13h

MUSEU LUIZ GONZAGA

Instalado no Bloco B do Espaço Cultural Tancredo Neves (térreo), reúne em 3 salas, uma coleção de fotografias, documentos, troféus, roupas, discos e instrumentos musicais que pertenceram a Luiz Gonzaga. As duas salas seguintes são dedicadas aos festejos juninos da “Capital do Forró”, com abordagem dos eventos, folguedos, artistas regionais, gastronomia e a devoção aos santos padroeiros da época.

ESPAÇO ELBA RAMALHO

Instalado em área anexa ao Museu do Forró, reunindo fotografias, troféus, figurino e adereços de shows, discos de ouro, LP’S e outros objetos que contam a trajetória artística da cantora.

CASA MUSEU MESTRE VITALINO

Localizada no Alto do Moura, à Rua Mestre Vitalino, a casa, onde viveram o ceramista e família foi transformada em museu em 1971. No acervo estão objetos de uso pessoal e familiar que retratam o dia-a-dia do Mestre.

HORÁRIO PARA VISITAS

Segunda à sábado: 8h às 12h e de 14h às 17h

Domingo: 9h às 17h

MEMORIAL MESTRE GALDINO

Localizado também no Alto do Moura, mais precisamente à Rua São Sebastião, é composto por peças do ceramista e poeta popular Galdino. Ilustrando a exposição, exemplares originais de poesias, fotografias, e textos sobre a vida e obra do artista.

HORÁRIO PARA VISITAS:

Terça à sábado: 8h às 17h

Domingo: 9h às 13h

MUSEU FÁBRICA CAROÁ

Localizado no Bloco A do Espaço Cultural Tancredo Neves, possui em seu acervo, maquinário, documentos, mobiliário, fotografias e amostras de produtos remanescentes da antiga Fábrica Caroá, marco importante na economia local.

HORÁRIO PARA VISITAS:

Segunda a sábado: 8h às 17h

ALTO DO MOURA

Considerado pela UNESCO o maior Centro de Artes Figurativas das Américas. Há 7 Km do centro da cidade, este povoado concentra mais de 1.000 artesãos que moldam o cotidiano do homem nordestino no barro, perpetuando a arte do Mestre Vitalino.

AUTÓDROMO AYRTON SENNA

Com uma área de 45.000 m2 com 3.170 m de asfalto, 24 boxes, torre de cronometragem, e toda infra-estrutura necessária para sediar corridas automobilísticas, Caruaru colocou-se no Circuito de Automobilismo e Motociclismo Nacional.

MORRO DO BOM JESUS

Com 630 metros de altura é o ponto mais alto da cidade. Caruaru cresceu ao redor do morro. A bênção solene da capela do Bom Jesus foi dada pelo Bispo de Pernambuco, D. Luiz Raimundo da Silva Brito, em 29 de agosto de 1902. Na década de 60, o então vereador Aristides Veras idealizou a escadaria com as estações da via sacra.

SERRA DOS CAVALOS

Nome dado devido ao fato de que no inverno, só conseguia chegar à Serra em lombo de animais. Era impossível trafegar carros pelas ladeiras das estradas. Com uma altitude de aproximadamente 900 metros, compõe uma área de brejo medindo 359 hectares. Trata-se de uma reserva estadual de Mata Atlântica de proteção ambiental municipal, o Parque Ecológico Professor João Vasconcelos Sobrinho.

PARQUE 18 DE MAIO

O Parque 18 de Maio abriga numa área de 40.000 m2, as Feiras de Frutas e Verduras, da Sulanca, do Artesanato, de Importados, do Troca-troca, das Flores, das Panelas, dos Calçados, de Roupas, de Raízes e Ervas, Gastronômica, do Ferro Velho, do Artesanato, da Sulanca, de Importados e ainda o Açougue e o Mercado de Feijão Farinha. A maior feira ao ar livre do mundo inspirou o rei do baião, Luiz Gonzaga, que deu voz á letra do caruaruense Onildo Almeida “De tudo que há no mundo tem na Feira de Caruaru”.