Em Caruaru, gastos com campanha para vereador podem ir a R$ 7,25 mi

Cidade tem 12 candidatos concorrendo a cada vaga na Câmara.
Entre aqueles que buscam a prefeitura, maior limite é de R$ 3 milhões.

 

 

A cidade de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, tem 280 candidatos a vereador disputando as 23 vagas da Câmara Municipal, o que corresponde a 12 candidatos para cada vaga, aproximadamente. Os limites de gastos declarados à Justiça Eleitoral pelos candidatos variam de R$ 70 mil a R$ 7,25 milhões, enquanto entre os candidatos a prefeito, o limite mais alto declarado é de R$ 3 milhões.

Quanto ao grau de estudo, 93 candidatos a vereador declararam ter o ensino médio completo, 48 nível superior completo, 37 ensino médio incompleto, 27 ensino fundamental completo, 26 ensino médio incompleto, 14 superior incompleto e 35 informaram que são capazes de ler e escrever.

 

 

Quinto maior colégio eleitoral do estado, com 185.863 pessoas aptas a votar no pleito deste ano, a cidade vai ser a primeira com mais de 100 mil eleitores a ter urnas biométricas no estado. Concorrem ao cargo de prefeito de Caruaru neste ano Zé Queiroz, Fábio José e Miriam Lacerda.

Atual prefeito da cidade, Zé Queiroz (PDT) integra a coligação ‘Caruaru com a força do Brasil’, composta pelos partidos PRB, PP, PDT, PT, PTB, PTN, PSC, PR, PSDC, PRTB, PHS, PTC, PSB, PRP, PSD, PCdoB e PTdoB. O patrimônio declarado à Justiça Eleitoral é de R$ 1.325.977,10, dividido em ações, imóveis, terrenos, aplicações de renda fixa, fundo de investimento, contas bancárias, entre outros. O limite de gastos com a campanha informado é de R$ 2,8 milhões.

Candidato do PSOL, Fábio José não declarou bens e informou ser estudante. Integrante da coligação ‘Caruaru pode mais por um socialismo de verdade’, formada pelo PSOL e o PPL, José é o que tem o maior limite de gastos entre os candidatos a prefeito da cidade, de R$ 3 milhões.

Miriam Lacerda (DEM) faz parte da coligação ‘Caruaru em boas mãos’, composta pelo PMDB, PSL, PPS, DEM, PMN, PV e PSDB. À Justiça Eleitoral, Miriam informou ser nutricionista e ter um patrimônio de R$ 1.559.005,17, o maior entre os candidatos, dividido em imóveis, investimentos, terrenos, fundos de capitalização, entre outros. O limite para gastos com a campanha é de R$ 2,8 milhões.

A lei complementar 64/90, art. 22, prevê que gastar recursos além do limite fixado por cargo eletivo pelo partido sujeitará o candidato a multa no valor de cinco a 10 vezes o valor em excesso, podendo ainda o responsável responder por abuso do poder econômico. A alteração desse valor só pode ser feita através de uma solicitação justificada ao cartório onde a candidatura foi registrada.

Essas e outras informações sobre os postulantes às prefeituras da capital e de todos os outros municípios de Pernambuco podem ser obtidas no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), através do serviço DivulgaCand2012.

Dados como o detalhamento dos bens de cada candidato, as coligações formadas em cada cidade, estado civil e grau de instrução estão disponíveis na internet, com acesso livre para qualquer pessoa.

Sobre o autor

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *