Estudantes fazem prova da Olimpíada Brasileira de Matemática e se preparam para buscar o ouro no exterior

Estudantes fazem prova da Olimpíada Brasileira de Matemática e se preparam para buscar o ouro no exterior

 

 

Mais de 200 mil estudantes dos ensinos fundamental e médio, de 4 mil escolas públicas e particulares, participam  da primeira fase da 34ª  OMB (Olimpíada Brasileira de Matemática). O objetivo é estimular o estudo da disciplina e melhorar o ensino, além de apoiar os estudantes em pesquisas científicas.

De acordo com a assessora executiva da secretaria OBM, Nelly Carvajal, a prova é dividida em três níveis, conforme a escolaridade do aluno. O gabarito oficial será publicado na nesta terça-feira (19), no site da OBM.

Serão classificados para a segunda fase os estudantes que atingirem a pontuação mínima exigida para cada um dos níveis, segundo o critério estabelecido com base nos resultados nacionais da primeira etapa. A segunda fase será realizada no dia 22 de setembro e a terceira fase, nos dias 27 e 28 de outubro.

 

 

Além das medalhas e certificados, os estudantes premiados na OBM são convidados a participar da Semana Olímpica, evento que dá início ao processo de seleção para integrar as equipes que irão representar o Brasil nas Olimpíadas Internacionais de Matemática.

Daniel Lima, de 14 anos, aluno da escola particular do município de Eusébio, no Ceará, participa da OBM há quatro anos e já ganhou medalha de prata duas vezes. Ele participou também da Olimpíada de Matemática Rioplatense, na Argentina, em 2010 e 2011, e ganhou medalha de ouro nas duas edições. “Estou estudando três horas por dia, me preparando para a seletiva da Rioplatense que ocorrerá em dezembro”, contou.

Para preparar alunos de escolas públicas, que obtiveram bons resultados nas competições de matemática nacionais, foi criado, em 2009, o Centro de Preparação Especial para Competições Internacionais (Peci). Atualmente, 42 estudantes participam da preparação, sendo 30 de escolas públicas e 12 alunos convidados de instituições particulares.

Segundo o professor de matemática, Paulo Rodrigues, o interesse dos alunos que estão no centro é enorme. “Para ingressar no Peci, os alunos premiados em competições nacionais fazem uma prova de admissão. Eles ficam no centro uma vez por mês, de quinta-feira a domingo, e podem estudar em casa por um ambiente virtual criado especialmente para eles. Aqui, esses alunos são preparados para participar de competições internacionais, representando o Brasil.”

O estudante do Colégio Militar de Brasília Henrique Gasparini Fiúza do Nascimento, de 16 anos, já ganhou seis medalhas de ouro nas Olimpíadas Brasileiras de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), além de dois ouros e uma prata na OBM.. Atualmente, Henrique se prepara no Peci para competições internacionais.

— As competições brasileiras são boas. Os exames da segunda e terceira fase geralmente têm a mesma dificuldade das provas internacionais. Participar de olimpíadas aqui é uma boa forma de treinamento para as competições fora do país. O Brasil está desenvolvendo um bom preparo dos alunos e estamos no mesmo patamar de outros países. A prova de hoje é só a primeira fase, minha maior preocupação são com as competições internacionais.

Henrique Gasparini vai participar da Olimpíada Internacional de Matemática, que reúne competidores de mais de 80 países e será realizada este ano na Argentina. Além disso, participará da Olimpíada de Matemática do Cone Sul, que será realizada no Peru.

Sobre o autor

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *